Escola Paulista de Medicina
Postgraduate in Collective Health

Estudo com quase meio milhão de pessoas mostra o efeito da intensidade atividade física na redução da mortalidade

Estudo coordenado pelo Departamento de Medicina da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/UNIFESP), em parceria com a Universidade de Wuhan (China), Universidade de Santiago do Chile (Chile) e Universidade Europeia Miguel de Cervantes (Espanha). O estudo foi publicado na renomada revista científica JAMA Internal Medicine no dia 23 de novembro de 2020 (Link para a publicação).

Os benefícios da atividade física para prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer, são amplamente conhecidos e disseminados. As recomendações de atividade física sugerem que adultos devem acumular pelo menos 150-300 minutos de atividade física de intensidade moderada, ou 75-150 minutos de atividade física de intensidade vigorosa, ou uma combinação equivalente das intensidades das atividades. No entanto, os benefícios da atividade física vigorosa vs atividades físicas moderadas na redução da mortalidade ainda são poucos conhecidos.

Nesse sentido, os autores do estudo utilizaram dados do estudo The National Health Interview Survey, um estudo de coorte com mais de 400 mil adultos para investigar se a realização atividades físicas de intensidade vigorosa promovem maior redução na mortalidade quando comparadas as atividades físicas moderadas. Para isso, os autores selecionaram adultos que realizavam alguma atividade física na semana e calcularam o percentual (%) do total da atividade física realizados em intensidade vigorosa, variando de 0% a 100%. Nesse indicador, 100% significa que os adultos realizavam apenas atividade físicas de intensidade vigorosa, enquanto 0% apenas atividades físicas de intensidade moderada. Os principais resultados do estudo foram:

- Ambas intensidades de atividades física, moderada e vigorosa, estão associadas com menor mortalidade por doenças cardiovasculares, câncer e todas as causas.
- Para a mesma quantidade (volume) semanal de atividade física, participantes que realizaram um maior % do total de atividade física em intensidade vigorosa apresentaram menor mortalidade. Por exemplo, adultos que realizaram de 50% a 75% do total de atividade física semanal em intensidade vigorosa tiveram uma redução de 17% na mortalidade por todas as causas, quando comparados aos adultos que realizaram apenas atividades físicas de intensidade moderada.

Contato: Prof. Dr. Leandro Rezende | Departamento de Medicina Preventiva, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (leandro.rezende@unifesp.br)

Artigos Relacionados - Notícias

© 2013 - 2024. Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Campus São Paulo - Rua Botucatu, 740 - 4º andar - sala 02 - Vila Clementino, São Paulo - SP - ppg.saudecoletiva@unifesp.br

Faceboonk Instagram Youtube